• P√°scoa √© a festa crist√£ que celebra a ressurrei√ß√£o de Cristo. O ovo simboliza a chegada de uma nova vida… Renascimento… Data oportuna para lhe presentear com¬†essa bela¬†hist√≥ria:

     

    Certo dia, pesquisando na internet algo como ‚Äúdeficiente f√≠sico x vaidade‚ÄĚ, deparei-me com o site¬† http://www.artecomestilo.com/ , da Mari Sabel. Uma mulher sens√≠vel, inteligente, criativa, bem humorada, linda, muito vaidosa (como voc√™ bem poder√° ver nas fotos)¬†e… Cadeirante.

    Detalhes que me despertaram a atenção e o interesse em conhecer sua história.

      

      

    Em 30 de setembro de 1990, aos 18 anos, ela voltava de uma balada com duas amigas e um amigo que dirigia o carro. Numa ponte interditada para reformas, onde só podiam passar veículos com altura inferior a 2.20m, veio em sentido contrário um caminhão guincho, derrubando a baliza de ferro que limitava a altura máxima. Houve uma colisão, o amigo morreu de traumatismo craniano e ela fraturou a coluna cervical nos níveis C6 e C7, tornando-se tetraplégica.

    Sua vida antes do acidente era como a da maioria¬†das jovens da sua idade; estudava, namorava, passeava, idealizava in√ļmeras profiss√Ķes e possibilidades. Paralelamente a isso, ajudava a m√£e no seu sal√£o de beleza; fez v√°rios cursos profissionalizantes e j√° havia conquistado uma pequena clientela.

     O caminho para uma nova vida foi muito longo, mas teve o apoio da família em tempo integral. Perdeu todos os movimentos do pescoço para baixo. A fisioterapia diária, na clínica e em casa, com a ajuda dos pais e irmãos, permitiu-lhe recuperar os movimentos dos braços e dos punhos.

    A fisioterapia é uma prática da qual não pode prescindir; exigindo empenho e disciplina, o que, admite, nem sempre consegue.

    O que precisa executar com as m√£os, como maquiagem, pintura, escrever, digitar, escovar os dentes e cabelos… Conta com a ajuda de manguitos ‚Äď √≥rteses para as m√£os.

    Os obst√°culos a superar s√£o muitos e constantes, seja consigo mesma ou com a infraestrutura dos lugares onde circula. Frequentemente depara-se com situa√ß√Ķes concretas que limitam sua independ√™ncia, mas como decidiu viver e seguir adiante, n√£o¬†desanima.

     Cuidar-se no cotidiano é uma prática que adota como a maioria das mulheres, só que, geralmente, com a ajuda do marido. Sempre manteve a vaidade e isso faz com que exerça todos os cuidados necessários para se sentir bem e bonita. Consegue! Vê-se como uma mulher que não tem os movimentos das pernas, mas encara a vida na sua essência e curte com alegria e prazer tudo o que dela recebe.

     

    O marido Demilson conheceu pelo disque-amizade; na época ainda não tinha internet. Antes da primeira ligação pediu a Deus que lhe enviasse uma boa pessoa. Conversaram por muitas horas e depois de dois dias se encontraram pessoalmente. Foi paixão à primeira vista. Hoje já são quase 16 anos de amor, cumplicidade e muita dedicação.

    S√£o palavras dele: “Dificuldades existem diariamente, mas isso n√£o significa que √© imposs√≠vel um relacionamento entre uma cadeirante e um andante. Com o amor superamos todas as barreiras; as limita√ß√Ķes desaparecem‚ÄĚ.

    Ele deixou o emprego para cuidar dela, montaram um atelier onde desenvolvem arte e artesanato; trabalham juntos e vivenciam, no dia-a-dia, in√ļmeras¬†experi√™ncias. Ela o tem como um anjo em sua vida, tal como pediu na noite em que fizeram o primeiro contato por telefone.

    Como cadeirante, o exercício da sexualidade era uma experiência nova para os dois; foram aprendendo juntos. Aliando-se, descobriram as melhores formas de sentir e proporcionar prazer.

     

     

    Nesse caminho de descobertas, engravidou e nasceu o Guilherme, esse bebê lindo da foto, hoje com quase quinze anos de idade.

    Uma d√°diva ainda mais especial, tratando-se de qualquer mulher cadeirante, diz ela.

     

     

      

     

    Logo após o nascimento do filho montou com o marido o atelier, onde passaram a produzir peças de artesanato. Em seguida iniciou seu trajeto pelas artes plásticas.

      

    Hoje s√£o 11 anos de pintura em tela e 14 anos de artesanato.

    O trabalho √© de suma import√Ęncia para ela, pois, al√©m de¬†fonte de renda, funciona como valiosa terapia. Conhe√ßa suas obras no http://www.flickr.com/photos/msabel

    Visite sua exposição no http://www.pessoabonita.com.br/galeria.php

     

    Mari Sabel √© assim: ama, produz, se diverte, se socializa… Mant√©m-se conectada √† vida.

     

     

    Ao lado do marido e do rep√≥rter Amaury Jr, no¬†√ļltimo 28 de janeiro, em alegre e¬†movimentado evento no litoral catarinense:¬† Terceira Paella do Brava Beach Internacional.

     

     

     

    Para finalizar, essa  bela cena de família; com o abraço gostoso e dengoso do Guilherme! 

    Obrigada, Mari! Bom demais aprender com você!

    Bjss,